No seminário “Por que se aflige o construtor com a revisão da Norma de Desempenho?”, promovido pela Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), por meio da sua Comissão de Materiais, Tecnologia, Qualidade e Produtividade (Comat), com a correalização do Senai Nacional e apoio do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Distrito Federal (Sinduscon-DF), no dia 4 de setembro, em Brasília, foi reforçado o convite para participação da Reunião de Reativação/2018 da ABNT/CE-002:136.001 – que irá revisar as ABNT NBRs 15575-1 a 6 – no próximo dia 14 de setembro, a partir das 8h30, na sede do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo (SindusCon-SP), em São Paulo. Dentre os itens da pauta estão a definição do coordenador e do secretário da Comissão de Estudo e o planejamento dos trabalhos.

Na abertura do seminário, o presidente da Comat/CBIC, Dionyzio Klavdianos, apresentou os princípios que devem ser considerados na revisão da referida norma. Na visão da CBIC, são eles: correção de situações que tecnicamente não estão corretas; melhoria da precisão do texto para situações em que a norma gera interpretações diferentes; atualização das normas citadas (muitas normas canceladas e substituídas e normas novas); harmonização com outras normas e com outros regulamentos e legislação (retirar choques que trazem complexidade para a prática de projeto e construção); planejamento da revisão de normas associadas, e situações onde não há normas e é preciso complementar (remeter para a criação de normas específicas e planejar seu desenvolvimento). A entidade defende que seja pretendida uma revisão irrestrita, mas focada em itens cuja prática e estágio tecnológico atuais, organização de mercado e disponibilidade de conhecimento, de projeto e construção, demonstraram que requerem aperfeiçoamentos.

Foi compartilhado que os resultados do Estudo de Revisão da Norma de Desempenho, realizado no primeiro semestre deste ano, que teve sua consolidação apresentada no 90º Encontro Nacional da Indústria da Construção (Enic), será disponibilizado para a Comissão Especial – CE-002:136.001, no dia 14 de setembro. O estudo, uma iniciativa da CBIC/Senai/SindusCon-SP/Secovi-SP, teve início com a realização de quatro workshops versando cada um dos seguintes temas: segurança contra incêndio, conforto térmico, lumínico e acústico e mais o apoio ao workshop realizado pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (USP) que tratou de durabilidade. Além disso, foram coletadas sugestões, por escrito, de 26 instituições das mais diversas ligadas ao setor. O resumo do referido estudo pode ser acessado clicando aqui.